Desenvolvimento Pessoal

Muito mais que pessimismo e reclamações.

Iran Melo

Era eu quem queria ouvir. Ouvir mais que pessimismo e reclamações. Infelizmente não foi desta vez.

Uma experiência vivida nos dois últimos dias me levou a escrever este post. Desejo fortemente que seja útil, que sirva de alerta para aqueles que buscam estágio ou procuram seu primeiro emprego. Ei-la.

Num processo de seleção para uma vaga de estágio, ouvi dos 5 candidatos muito mais queixas, reclamações, desânimo e incertezas quanto ao futuro do que sonhos, desejo ou ações positivas. O pessimismo era um sentimento comum entre aqueles estudantes já próximos à conclusão. Alunos do 5º e 6º semestres com idades entre 19 e 22 anos. Todos queriam trabalhar numa grande empresa, mas não apresentaram uma razão convincente pro seu querer.

Percebi que todos eles tinham conhecimento de algum evento ruim, notícias desagradáveis que remetem à violência; roubos, estupros, chacinas. Sem exceção, cada um citou um parente ou amigo que teve o celular roubado, tomado de assalto. Detalhistas na narração do evento. Chocante? Preocupante? Até poderia ser, mas não para mim. Julguei que a TV, as mídias sociais e os amigos eram prioridade. Graduar-se sim, não os estudos ou a boa leitura.

Todos os dias eu aprendo. Decidi assim que iria perder — ou seria investir? — o máximo de tempo com esses rapazes e moças. Eles tinham que ter algo para me surpreender. Iniciei minha ofensiva perguntando: “diante do pessimismo e reclamações externadas por vocês, escrevam uma carta com até 10 linhas para estes 05 personagens presentes em nossas vidas: Presidentes do STF e Senado, Governador do Estado ou Prefeito do Ceará, à sua escolha, um apresentador(a) e a última para um personagem qualquer que você considere influente a ponto de fazer ouvir seus lamentos, se possível fosse. Pareceu complicado? Vocês podem substituir todas as cartas e fazer uma apenas para alguém de quem ouviram falar, ou conhecem a história, citando e parabenizando essa pessoa por algo de bom que fez, ou faz, para melhorar a vida das pessoas, desfavorecidas ou não”.

Que experiência maravilhosa eles me proporcionaram. Desejava ouvir de um deles que assistia algo de útil na TV ou até citar um livro interessante. Mas, era eu quem queria ouvir. Ouvir mais que pessimismo e reclamações. Infelizmente não foi desta vez.

Crédito Foto: Desconhecido / Origem: pesquisa internet.

Sobre o autor

Iran Melo

Iran Melo

Iran Melo é Administrador de Empresas e MBA em Finanças/Controladoria, Responde pela Controladoria no Grupo Handara. Trajetória profissional construída em empresas como Mendes Júnior S/A, Souza Cruz, Votorantim, Prolane S/A, HandaraJeansWear, MR2 Menswear e Grupo Handara/Bemt (atual). Suas formações e especializações em Coaching, Mentoring e PNL, assim como sua expertise em Auditoria Empresarial conferem a ele as credenciais necessárias para disseminar e compartilhar o conhecimento e as boas práticas de gestão. Sua missão está fundamentada no compromisso em contribuir e inspirar pessoas a reconhecer e desenvolver suas habilidades em benefício de si mesmas e de outros através do amor, compaixão, integridade, ética, sabedoria e ausência de julgamento.

Deixe umComentário

8 Comentários

  • Infelizmente estamos rodeados de pessoas assim, devido as coisas que acontece em nosso dia a dia. Nós queremos mudança mas não começamos por nós mesmo.

  • Parabéns! Continue divulgando seu trabalho em prol de pessoas com incertezas nesse país.

  • Feliz com tua publicacão porque alerta essa juventude para o lugar que estão se colocando na vida. O pessimismo desconstrói, enfraquece. Precisamos mudar a polaridade dentro de nós e sonhar mais, acreditar e lutar por mudanças.

    • Excelente colocação Cristina. Tudo que é negativo desconstrói mesmo. Costumo falar nas sessões de coach que o coachee numa deve dizer: preciso ser “menos” perfeccionista, “menos” isso ou aquilo. Qualquer palavra negativa tem impacto direto no subconsciente, e é ele que nos governa.